Skip to main content

Posts

Showing posts from September, 2010

Sonhar, Criar e Construir

Construir uma história sincera nos dias de hoje, não é algo que podemos simplesmente deixar o tempo apagar. Uma grande amizade, o compartilhar dos momentos em que definimos o nosso real eu, não deve e não pode virar apenas lembrança de fim de tarde.

I'm still here. What about you?

Lembranças Indecifravéis sobre Minha Família

Já começo a me lembrar do porque não gosto de festas em família. As tias vão te apalpando, os primos vão te humilhando, você vai se diminuindo até não sobrar seu amor próprio. . Todo mundo bota fogo e para apagar o incêndio você não pode contar com ninguém. Sei lá, têm dias que não estamos inspirados o suficiente para escrever de maneira culta e correta para que os olhares desatentos permaneçam em completo silêncio. Têm dias que só quero ficar ali, com a inércia e o vento, pensando em pensar em nada.De repente, começo a me lembrar do porque adoro festas em família. Sou sempre o bobo da corte, a babá desencantada, o menino da lua, o par perfeito pra dança, o bebê que não cresceu, o fotógrafo, o orgulho, o DJ, sou sempre o cara errado.Família, só sendo da minha pra saber viu.

Bem Vindas ao Bofe Escândalo

Gostaria realmente de lhe dizer que é um imenso prazer conhecê-lo se não fosse pela falta de desinteresse que você me desperta. Mais fácil ver vaca tossir do que ganhar alguma manifestação de afeto e sucesso, já que está de interesse em algo valioso.

Já deixei a arma engatilhada pra apostar se tu mesmo, é mesmo, o mesmo que ela mesma disse que tu mesmo é. Já nem sei se a rima é boa, se a palavra descreve o meu eu detetive que desvenda a vida, assim como ela é.

Ninguém sabe se é zoeira ou ciúmes, se é apego ou costume, o cuidar que eu tenho pela menina já grande, a loirinha que todos observam e que só você já a tem.

Vim desejar boas vindas apenas, desejar o não desejável. Tô de olho em você Bofe Escândalo, vê se não brinca porque eu mesmo não relaxo.

Alerta de Mim

Talvez o uso das palavras fantasiosas que utilizo em meus textos seja a fulga expelida sem aviso prévio como forma de alívio e de procura. Não conseguindo me impor diante das vitórias e fracassos da vida eu continuo viajando na sombra do pensamento inexistente, fingindo não saber que por trás de tudo isso ainda assim há uma realidade escondida a sete chaves. De repente, eu não sou mais o cara transparente que pensei que fosse, tudo em mim é misturado a magia que gostaria que a minha vida mantivesse acesa.

Escrever teorias por um momento me parece ser a parte mais fácil do dia, pois aplicá-las com convicção e eficácia seria me dar ao luxo de poder ter a certeza do que sou, do que quero e do que preciso.

Eu ainda não sei o que quero ser quando eu crescer. Isso talvez porque só agora sei que parei no tempo do mundinho que criei para tentar realizar coisas que a realidade me tira a cada instante. Só consegui perceber agora, só percebi!