Skip to main content

Posts

Showing posts from November, 2011

Eu Adoro Voar

Há tempos que eu tento encontrar na dimensão das palavras algo que expresse o momento em que me encontro. Vou voar para o desconhecido, encontrar o ocasional, não chorar pelos feridos e nem desvalorizar o sentimental.
Eu gosto do mau gosto, me instiga o bom senso, sacaneio os amigos, amo facilmente todo o resto.
Eu adoro voar...mesmo que só aqui na mente fértil que adquiri por merecer.
"Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.

Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:

- E daí? Eu adoro voar!

Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de…

Garotos Não Choram

Já não se sabe dizer se o meu desejo ultrapassou a linha disponível para poetas feridos pelas feridas alheias. Quando eu olhei pra ti, eu realmente te vi. Fora talvez o que me chamou mais atenção, seus olhos.
Seu doce jeito sem jeito de fingir entender direito o que jamais fora explicado, você sofre. Teme em desespero que possa largar do vício que melhor te move, o amor.
Me vejo imaginando o inimaginável, consertando o inexplicável, sorriso bobo no rosto quando me passa você. Te vejo escalando os muros, ouvindo problemas alheios, sentindo lá no fundo a falta de um real ter.
Esconder-se perante o mundo é algo que não funciona. Quando eu olhei pra ti, eu realmente te vi. Fora talvez o que entregou seu coração, seus olhos.